Certificação
Introdução aos testes

Os testes para homologação de Bóias e Coletes salva-vidas, são determinados pela Marinha do Brasil em alinhamento com as normas internacionais SOLAS, promulgada pela IMO – International Maritime Organization e supervisionados pelo DPC - Diretoria de Portos e Costas da Marinha do Brasil.

 

Todos os Coletes salva-vidas ATIVA Classes I, II, III, IV, V e Bóias salva-vidas ATIVA Classes I, II e III, são aprovados, testados e certificados pela Marinha do Brasil.

 

Os certificados de homologação tem validade de 5 anos para empresas certificadas ISO 9001: 2008 e sem essa certificação de qualidade, são válidos por apenas 1 ano.

Quem somos
Nossos testes
Testes de Flutuabilidade
  • TESTES DE FLUTUABILIDADE

Bóias e coletes salva-vidas são fixados com pesos dentro de tanques de água por 24 horas. Esse teste garante que os equipamentos mantenham a flutuabilidade necessária mesmo após longos períodos de imersão.

Testes de Flutuabilidade
  • TESTE DE TRAÇÃO DOS COMPONENTES UTILIZADOS PARA A FABRICAÇÃO DE COLETES

Amostras de fechos, tecidos, cordas e tirantes são tracionados depois de submersos em água por um longo período, bem como após envelhecimento acelerado em laboratório.

Testes de Flutuabilidade
  • TESTE DE RESISTÊNCIA MECÂNICA DOS COLETES

Os coletes são tracionados de acordo com especificações e normas de cada classe. O produto pronto é submetido a rigorosos testes de tração que podem variar entre 25 e 3200N.

Testes de Flutuabilidade
  • TESTES DE DESEMPENHO DOS COLETES

Os coletes são testados em condições reais de uso com pessoas de diferentes pesos e alturas. São realizados testes como: desempenho pós-queda, desempenho em uso, distância da boca em relação à água; tempo de desviramento de uma pessoa desacordada, dentre outros.

Testes de Flutuabilidade
  • TESTE DE RESISTÊNCIA MECÂNICA DAS BÓIAS

As bóias são jogadas de plataformas de 5 e 10 metros. Mede-se a flutuabilidade antes e depois, bem como avarias mecânicas. São também tracionadas e testadas em laboratório.

Testes de Flutuabilidade
  • TESTE DE DESEMPENHO NO FOGO

Simulação de uma situação real de incêndio como se o usuário tivesse que atravessar as chamas por 2 segundos. As avarias não podem alterar a funcionalidade e resistência mecânica do colete.

Certificação

Ao adquirir um colete salva-vidas homologado exija uma cópia do certificado. Consulte regularmente o site da Marinha e certifique-se da validade das homologações concedidas. Equipamentos de salvatagem não tem prazo de validade previstos por lei.

 

Verifique a validade do certificado e se o lote e a data de fabricação estão de acordo com o mesmo. O estado de conservação e de manutenção dos equipamentos é que determinarão a frequência com que deverão ser substituídos.

Quem somos
Segurança
Cuide do seu equipamento

Não puxe, corte, escreva ou altere a estrutura do seu salva-vidas, ele é projetado e testado para sua segurança. Não apoie objetos pontiagudos e não use como assento ou encosto, pode perder parte de sua flutuabilidade.

 

Lave-o em água doce após o uso e sempre deixe secar em locais ventilados. Mantenha-o longe de fontes fortes de calor e não guarde úmido dentro do barco por longos períodos. Aumente a vida útil de seu equipamento com manutenções preventivas.

Quantidade de coletes

Por lei está previsto que a quantidade de coletes salva-vidas em uma embarcação deve corresponder à sua lotação e mais 10%. Deve-se levar em conta ainda: o tipo de atividade desenvolvida, o tipo de embarcação e o local de navegação.

Ensine as crianças

Vestir um colete salva-vidas ou um auxiliar de flutuação ajuda a manter uma criança equilibrada e com a cabeça para fora d´água.

 

Não importa a idade, crianças perto ou dentro da água devem sempre estar sob a supervisão de um adulto responsável. Caso a criança não saiba nadar, escolha um colete com gola.

Seja responsável

Conduza sua embarcação de forma defensiva, jamais navegue alcoolizado. O álcool acelera a perda de calor do corpo e no caso de queda na água afeta seus reflexos e pensamentos. 80% dos acidentes em embarcações de lazer envolvem o uso de bebidas alcoólicas.

 

Inspecione seu salva-vidas regularmente. Você é o responsável por sua tripulação, é a segurança de sua família e amigos que está em risco.

Fiscalize

Verifique se o número do certificado de homologação é válido e se a data e lote de fabricação estão de acordo com o mesmo. Bóias e colete salva-vidas não tem prazo de validade previstos por lei. A troca é indicada de acordo com as condições de uso do produto.

 

Atenção: Certificados de homologação tem validade de 5 anos para empresas certificadas ISO 9001:2008 e sem essa certificação de qualidade, a validade é de apenas 1 ano.

Flutue com estabilidade

Escolha seu colete conforme seu peso e tamanho. Sempre há um modelo adequado que o deixe com a flutuabilidade estável. Antes de sair ao mar, teste seu colete salva-vidas em águas abrigadas.

Insepecione seu salva-vidas

Antes de sair ao mar, verifique se todos os coletes salva-vidas estão em bom estado. Verifique se todos têm fitas, fechos, apitos ou algum tipo de avaria aparente no tecido.

 

Verifique se a espuma esta amassada ou danificada por ter sido usada como assento, encosto ou mau acondicionamento. Sobra de tecido pode indicar menor flutuabilidade. Tenha sempre um salva-vidas do tamanho correto para cada tripulante.

Escolha segurança

A maior parte das vítimas tem o colete salva-vidas na embarcação, mas não o veste. Sempre vista seu equipamento. 9 em 10 afogamentos acorrem em águas calmas, abrigadas e a poucos metros do resgate.

 

Se uma pessoa a bordo da sua embarcação não souber nadar, você deverá orienta-lo a permanecer vestido com o colete salva-vidas mesmo que em águas calmas ou próximos da beira mar.

Sobrevivência no mar

O tempo de exposição na água fria pode causar hipotermia, isto significa que a temperatura do corpo cai abaixo de 35º C e pode ser fatal.

 

Técnicas simples de sobrevivência podem ajudar a retardar esse processo:

 

  • Saiba como vestir seu colete salva-vidas rapidamente;
  • Caso o contato com a água gelada seja inevitável, tente fazê-lo de forma gradual, descendo por escadas ou cordas de segurança;
  • Nade apenas se for possível chegar a uma embarcação de sobrevivência ou refúgio, não desperdice energia;
  • Relaxe.Permaneça na posição fetal, com os braços cruzados sobre as pernas e a cabeça ligeiramente para trás, o mais importante é manter a boca fora d´água;
  • Caso existam outros náufragos, mantenham-se próximos uns aos outros formando um círculo. Se existirem feridos, os mesmos deverão ser acolhidos no centro.
  • Mantenha a calma até que o resgate o localize. A atitude positiva de uma pessoa em risco pode fazer toda a diferença para sua sobrevivência.